Um Perfil Mais Adequado ou Menos Adequado às Variáveis do Projeto Tem Alguma Influência no Sucesso do Projeto? (Parte 1)

Dinah | 19 de agosto de 2012

Quero trazer para vocês, nesta e nas próximas discussões, o tema que motivou a realização do meu mestrado (em andamento). O conteúdo destas discussões se baseia na minha dissertação.

O cenário atual é caracterizado por um mercado altamente competitivo e dinâmico, que exige cada vez mais dos gerentes de projeto, que estão diretamente relacionados ao sucesso do projeto. Portanto, como definir uma liderança mais adequada às características do projeto, capaz de obter o máximo desempenho e eficiência destas equipes multifuncionais?

Muitos são os pesquisadores que estudam os perfis de liderança e mesmo a classificação dos projetos em função das suas variáveis contextuais. Mas, a análise dos aspectos que relacionam as variáveis do projeto, ao perfil da liderança, e aos resultados do projeto, não são muito explorados.

Como o perfil psicológico e a competência de um gerente de projeto pode influenciar o desempenho de um projeto em função de sua natureza? O mesmo gerente de projeto vai obter sucesso em qualquer projeto?

Um fator a ser considerado para o sucesso do gerenciamento do projeto, mais especificamente projeto de desenvolvimento de produtos, que é o foco da minha dissertação, é o entendimento do negócio e suas demandas.

Na 1ª parte desta discussão vou abordar, então, o Ambiente de Negócios.

Kaplan e Norton, no livro “A Estratégia em Ação”, mostram que a crescente velocidade de mudança do cenário organizacional está presente em todos os mercados e afeta continuamente a competitividade das organizações.

Falando em ambiente de negócios, não posso deixar de falar em competitividade e, portanto, estratégia.

A definição de um líder, como o gerente de projeto, deve ser considerada como uma definição estratégica para a organização? Se considerarmos que o líder é um dos principais responsáveis por manter a posição estratégica da organização, sim.

Neste ambiente de grandes turbulências em que vivemos, estudar as características do gerente de projeto e entender os modelos de gestão significa compreender as alterações mais significativas do mercado. Fischer, em “Um resgate conceitual e histórico dos modelos de gestão de pessoas” mostra que o que se espera das pessoas, em relação ao desempenho e ao modelo de gestão mais apropriado, é determinado por fatores internos e externos à organização.

As organizações recebem pressões constantes do ambiente em que se inserem e, portanto, precisam buscar um equilíbrio entre as expectativas da organização e das pessoas. Portanto, o desenvolvimento da organização e a sua competitividade estão fortemente atrelados a uma capacidade de desenvolver e, acima de tudo, valorizar as pessoas.

Joel Dutra, em “Gestão de Pessoas: Modelo, Processos, Tendências e Perspectivas”, mostra que as relações entre as pessoas, as organizações e o ambiente de negócios estão cada vez mais marcados por políticas organizacionais, que definem a gestão de pessoas, além de atendimento aos seus interesses, necessidade e expectativas.

Pensem nisso, e até a próxima discussão!